quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

Brasão da Freguesia de Leiria - Águia bicéfala


Brasão da freguesia de Leiria

Justificação da Simbologia (2) - ver (1)

Águia bicéfala a negro
Em heráldica, a águia bicéfala tem vários significados concretos.
Generalizando-se, pode-se dizer que este símbolo heráldico representa a ligação entre o poder temporal e o espiritual. Este símbolo, enquanto produção pictórica e escultórica, acabou por se associar à ideia de que a Virgem Maria, enquanto “Mãe Santíssima” poderia ser representada por uma águia de duas cabeças; a Virgem como humano tornado divino ao mesmo tempo que deu carne à divindade representada pelo seu filho, Cristo-Deus feito homem.
Também foi usado este símbolo em alusão a Sto. Agostinho, sendo que neste caso se associaria a águia bicéfala ao significado de “voo da eloquência”. Simplificando todas as especulações acerca do significado do uso da águia bicéfala, poder-se-á admitir que a arte de preservar a informação necessária à aquisição do saber falar e escrever, a tipografia, venha a ser representada por este símbolo heráldico.
No caso concreto de Leiria, poderíamos especular um pouco mais, imaginando o voo da águia a bifurcar-se entre a colina do Santuário da Sra. Da Encarnação (padroeira da cidade) e a do Castelo de Leiria (símbolo do poder temporal dos homens e da formação do burgo). Sem esquecer que, de permeio, a águia poderia beber a eloquência de Sto. Agostinho, representado no Convento e Igreja da Ordem Cristã a que deu origem, os Agostinianos.
No caso concreto do brasão da freguesia de Leiria, a Águia negra bicéfala, detendo numa das garras um componedor (instrumento tipográfico para a composição dos textos a imprimir) e na outra uma almofada de carimbo, representa as Artes Gráficas.
Há que ter presente que em Leiria se terá instalado a primeira tipografia de tipos metálicos. No entanto, há quem seja de opinião que a primeira tipografia instalada em Portugal foi em Faro. Talvez que estejamos a tratar de momentos distintos: a primeira tipografia de Portugal funcionou na cidade de Faro; a primeira tipografia em Portugal a trabalhar com tipos metálicos esteve em actividade em Leiria.
-
· Leia-se a este respeito o post http://dispersamente.blogspot.com/2007/01/os-tempos-hericoromnticos-da-tipografia.html
. Agradeço à Junta de freguesia de Leiria o facto de me ter enviado por fax (1/2/2007) um documento em 3 folhas A4 com a transcrição do texto do heraldista (não identificado) que colaborou na organização do processo para envio à Comissão de Heráldica, para efeitos de aprovação do brasão, nos termos da Lei 53/91, de 7 de Agosto.
. Note-se, no entanto, que o texto acima apresentado reflecte a minha interpretação pessoal, ainda que baseada naquele documento, nos aspectos técnicos e legais.
(continua)

quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

Observação

Sou um simples amador (no sentido de que aprecio a natureza) da classificação das árvores de Leiria. A este respeito tenho feito as minhas anotações neste blogue, que me tenho esforçado por que sejam as mais precisas possível.

Estou a socorrer-me de informações verbais, eventualmente por escrito, provindas dos serviços camarários e, ao mesmo tempo, quer do "Atlas das árvores de Leiria" ed. de 1992 quer de outras fontes, como blogues, livros e outros links na base de dados "Google".

Quero deixar aqui a ressalva de eventuais imprecisões na classificação científica e até no próprio nome popular das árvores e plantas de Leiria, as quais vou deixando neste meu "dentro de ti ó leiria", a título de, numa primeira fase (a presente), ensaio e estudo para conhecimento próprio.

De qualquer modo espero bem que essas informações que aqui vão ficando registadas possam ser de utilidade para quem consultar este sítio na Net. A esses possíveis leitores agradeço, desde já, toda a colaboração que me puderem prestar.

-

Conto, para já, com a colaboração da Câmara Municipal de Leiria, o http://dias-com-arvores.blogspot.com, alguns livros e enciclopédias de uso pessoal e a sempre à mão base de dados da Google.

Comprei hoje o livro "à sombra de árvores com história", 2ª edição revista e ampliada, dos autores do blogue já atrás referido. A propósito deste livro escreveu José Pacheco Pereira (Abrupto, Dezembro de 2004) o seguinte: «Um livro de amadores, no grande sentido da palavra, para vermos as árvores e o PortoEd. Gradiva - 2007

segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

No Largo 5 de Outubro


Melia azedarach
Estas árvores estão plantadas no Largo em frente ao edifício do ex-Banco de Portugal. Desde Setembro de 2006.

-

"Conforme solicitado telefonicamente informo que as árvores plantadas no Largo 5 de Outubro frente ao antigo Banco de Portugal são da espécie Melia azedarach sendo aquelas que serão colocadas no Largo do Papa Acer rubrum "columnare"." - info oficial por e-mail em 20/11/2006.

Posted by Picasa

domingo, 28 de janeiro de 2007

Tília e Jacarandá - Adro da Sé

Em Dezembro de 2006, no Adro da Sé de Leiria. Duas árvores monumentais e históricas. De grande porte e muito típicas. Autênticos emblemas daquela área da cidade. Tília e Jacarandá, da esquerda para a direita. Este tipo de árvore também foi plantado no próprio Largo da Sé, em substituição de árvores centenárias que lá existiam e que foram, pura e simplesmente, derrubadas. Houve alguma contestação incluindo com artigos escritos publicados na imprensa regional.
-

Tília:

Reino:
Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Classe:
Magnoliopsida
Ordem:
Malvales
Família:
Malvaceae
Género:
Tilia
Espécie:
Tilia platyphyllos

É uma das plantas mais solicitadas nas lojas de ervanários. É necessário trepar à árvore para colher as suas flores aromáticas, e seguidamente deixá-las secar à sombra. As flores da Tília platyphyllos Scop., a tília de folhas grandes, têm utilizações idênticas.
Componentes: óleo essencial, mucilagem, tanino, pigmentos flavónicos, manganésio.
Propriedades: antiespasmódico, colerético, emoliente, hipnótico, sedativo, sudorífico.
Indicações: acne rosácea, albuminúria, angústia, banho, cefaleias, convulsão, estômago, nervos, olhos, palpitações, pele, reumatismo, rugas, sardas, sono.

-
Jacarandá:

Árvore de porte médio, atinge cerca de 15 metros. De copa rala, esta árvore perde todas as folhas no inverno e floresce de forma abundante e magnífica no verão. A sua propagação é fácil, feita através de sementes contidas no seu fruto, verdadeiras cápsulas de madeira. Existem vários outros exemplares em Leiria mas mais nenhum com a monumentalidade deste.

Reino:
Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Classe:
Magnoliopsida
Ordem:
Lamiales
Família:
Bignoniaceae
Género:
Jacaranda
Espécie:
J. mimosaefolia a)

a) De acordo com as indicações constantes duma placa comemorativa dos 50 anos do Ateneu Desportivo de Leiria, colocada no Largo da Sé, junto a um jacarandá que lá tinha sido plantado na altura, a espécie desta árvore ali plantada será "J. acutifolia". Após as obras de requalificação do Centro Histórico, saneamento e novo chão calcetado, aquela placa ficou deixada ao abandono pelos cantos daquele Largo. Ainda hoje a vi, no chão, junto a um pino.

Posted by Picasa

Grevíllea robusta

Esta grevíllea robusta localiza-se na Rua da Escola, na zona do planalto.
(A foto a seguir está no post em regime de teste (Picasa/Blog))
Um dos locais de recente plantação desta árvore, em grande quantidade, é a Av. Sá Carneiro, que liga a ponte do mesmo nome e esta zona do planalto. Essas árvores têm cerca de 2/3 anos no local.
Foram plantadas três variedades de árvores no separador central: grevíllea robusta, ameixieira e prunus pisardii.

-

Classificação científica:
Reino:
Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Class:
Magnoliopsida
Ordem:
Proteales
Família:
Proteaceae
Género:
Grevillea
Espécie:
G. robusta

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Leiria, Portugal
Um Viseense tão Leiriense como os que o são... O que me vai ocorrendo...